Abr 132020

Você grita com seu filho?

Você já pensou porque você grita com seu filho? Porque se altera tanto na relação com ele? Será que o problema é da criança ou da sua criança que não foi ouvida na infância?

Eu aprendi que quando duas pessoas conversam e uma delas começa a alterar a voz, é porque vai sentindo um distanciamento entre elas. E para que o outro continue ouvindo é preciso aumentar a voz, até que chega um ponto que a pessoa se pega gritando para que o outro a pouca distância (a mesma do início da conversa) continue a lhe ouvir.

Aqui já dá para se ter uma ideia dessa dinâmica do grito, não é mesmo? Por que precisamos gritar para sermos ouvidos por alguém que se encontra em nossa frente?

Esqueça que esse alguém é você. Imagine uma cena com outras pessoas. Agora JULGUE! Vai… agora é permitido. O que você vê? Uma criança não é mesmo? Uma criança. A nossa criança.

Quando crianças somos cheios de dores e medos e o grito é também um mecanismo de defesa para espantar algo maior ou simplesmente chamar a atenção de nossa mãe ou um adulto. Chamando proteção.

Então para que um adulto grita? Um pai grita? É a criança interior dele que grita. Que clama por atenção. Que quer ser ouvida. Ter um pouco de atenção e quem sabe de amor. É querer ser visto. É um sentimento ainda de vazio infantil.

CRIANÇA X ADULTO

A criança tem um senso de urgência. Que precisa ser nutrido (saciado) naquele momento ou algo ruim pode acontecer. Ela quer tudo para AGORA. Não sabe esperar.

Um adulto deveria saber se posicionar. Impor suas vontades com clareza. E aguardar o tempo certo para cada resposta. Muitas vezes essa resposta não vem de imediato. Mas um adulto sabe que é assim. E espera com sabedoria.

Precisamos ser mais atenciosos com a nossa “criança interior”, dar-lhe o que muitas vezes foi negado. Fazê-la ser vista e amada. Isso é crescer. Isso é ser adulto. Dar um novo significado as suas carências do passado. Assumir uma nova postura com novas ações.

Seja sábio para filtrar o que não lhe serve mais e se agarrar ao que lhe é mais caro. Agradeça as oportunidades de crescer e ser um adulto saudável. Pense sobre “o porque” você grita com seu filho e mude suas dinâmicas.

Quando for gritar com uma criança novamente ou mesmo com outra pessoa, pare um pouquinho e pense se é no outro mesmo que você quer descontar a sua raiva do vazio da infância.

CONSTELAÇÃO FAMILIAR SISTÊMICA

Na Constelação Sistêmica essa dinâmica fica bastante clara. Nela é possível ver se fomos ou não vistos por nossas famílias. Muitas vezes fomos, mas nossa percepção foi totalmente contrária. Nossos pais precisavam trabalhar. Mas na nossa visão infantil, eles não ficavam conosco porque não nos amavam ou tínhamos feito algo feio e precisávamos ser punidos.

Vídeo completo no meu canal do YouTube!

Comenta aí.

Cadastre-se aqui e recebe todas as novidades do Blog em primeira mão!Inscreva-se agora!