Jun 092020

Uma existência em sofrimento é um convite à abreviação. Existir e não ser pleno, não se sentir no caminho é estar fora da rota. É rumar para um lugar desconhecido que possa abreviar este sofrimento.

Por quanto tempo você pode viver se sua vida for um constante sofrimento? Por isso é um convite à abreviação. Pois seu corpo vai adoecer querendo lhe passar a mensagem que tem algo de errado acontecendo. Os hormônios gerados por tais emoções (cortisol, corticotrofina, estrogênio, progesterona, T4) podem desencadear uma tristeza extensa, dificultando a comunicação cerebral.

Já a falta de hormônios do bem estar, como a serotonina, que é um neurotransmissor, é uma porta aberta para a depressão.

E eu não sou lá entendido em biologia para falar profundamente sobre o assunto, mas por quanto tempo um corpo pode viver assim?

O que acontece, e observamos nas constelações familiares, é que muito dos sentimentos que carregamos tem origem nos nossos ancestrais e são parte do que herdamos. É como se uma batata-quente invisível fosse passada de geração em geração até que alguém se prontifique a resolver.

E algo precisa ser dito: nós somos muito fiéis aos nossos antepassados e às batatas-quentes que precisamos superar.

E muitas vezes, ao longo da nossa caminhada, a gente simplesmente desiste. Então o problema/dificuldade volta e fica esperando outra geração para se manifestar.

LIBERANDO A BATATA-QUENTE

Resolver esta “Batata Quente Herdada” é libertador não só para quem o faz, mas para todos que pertecem aquele sistema. E até para àqueles que vieram antes de nós.

Seus pais que também vivenciaram este mesmo problema e não conseguiram superá-lo se encherão de orgulho ao vê-lo superar tal herança. E todos que vierem após você não mais precisarão viver com aquela dificuldade.

Todos nós podemos ocupar o lugar da solução. Conflitar e resolver esse problema, essa esperança, ou como quiserem definir. Mas se nada fazemos, nada conseguimos. Seremos apenas mais uma vítima.

Resolvendo este conflito nós desobrigamos o sistema a ter que lhe dar com ele novamente. Podemos ressignificar, entender, aceitar, honrar, incluir, acolher. Podemos solucionar.

COMO?

Mas como podemos fazer isso? Bom… primeiramente identificando, tomando consciência de tal problema. Então cabe a nós aceitar. Aceitar que isto já está a várias gerações em nossas vidas. Aceitar tudo aquilo que gerou de positivo e negativo. Apreender. Tirar lições do que aquilo trouxe de bom (sempre tem algo de bom). E superar, abrir mão.

Ter consciência das nossas dificuldades nos permite AGIR! Tomar decisões melhores e mais sábias. E a Constelação Familiar é maravilhosa neste sentido: identificar, ressignificar e desidentificar.

Tudo isso para poder superar e libertar você, os que vieram antes de você e os que virão após você. Seja o agente que faz a diferença para o seu sistema.

Gostou? Veja mais sobre o assunto no meu canal do YouTube.

Write a Comment

Cadastre-se aqui e recebe todas as novidades do Blog em primeira mão!Inscreva-se agora!